A ciência por trás de Fullmetal alchemist (parte 1/3) – Edward e Alphonse Elric

Faaaala pessoa querida, tudo na paz?

Victaum na área voltando a escrever alguns artigos aqui. Aproveitando que estamos na semana do dia do orgulho nerd, resolvi postar uma ideia de artigo que há muito tempo tava na cabeça. Espero que curta a 1ª parte de três que postarei por aqui sobre a ciência do anime maravilhoso que é Fullmetal Alchemist.

Não seria exagero dizer que praticamente todo o anime é cercado de referencias e homenagens à alquimia e a química. São tantas as referencias que decidi dividir esse artigo em três partes: os irmãos, as ideias de pano de fundo e os vilões. Para hoje, falaremos mais sobre a alquimia e a química dos protagonistas da série animada: os irmãos Edward e Alphonse Elric.

Edward e Alphonse Elric são dois irmãos que ao tentarem utilizar de alquimia para ressuscitar a mãe deles, acabaram com graves consequências: o mais velho (Edward) perde seu braço direito e sua perna esquerda e o mais novo (Alphonse) perdeu todo seu corpo e só não desapareceu por completo graças a Edward, que conseguiu aprisionar a alma do irmão em uma armadura metálica. Agora Edward, com duas próteses substituindo os membros perdidos e Alphonse com sua armadura metálica andante, vão em busca da pedra filosofal, instrumento esse capaz de recuperar seus corpos.

Para começar a destrinchar toda alquimia e química presentes nos irmãos, vamos falar da Cruz de Flamel que os dois irmãos carregam com eles o anime inteiro (Edward na parte de trás da capa e Alphonse no braço esquerdo da armadura, como é possível observar nas figuras abaixo). Vale ressaltar que o símbolo faz referência a Nicholas Flamel, famoso alquimista da antiguidade.

Mas afinal, que símbolo é esse? O que ele representa? Quem é esse tal de Nicholas Flamel?

Bom…

Nicholas Flamel foi um famoso alquimista francês que viveu no século XIV que, segundo a lenda teria conseguido os três maiores objetivos da alquimia: produzir a pedra filosofal, realizar a transmutação de metais baratos em ouro e fabricar o elixir da longa vida.

Coincidência o símbolo que acompanha os protagonistas remeter ao possível criador da pedra filosofal? Hummmm…eu aqui acho que não hein?hehehe.

Agora, em relação ao símbolo (figura abaixo), representa a junção de quatro elementos (serpente, cruz, asas e coroa), cada qual com seu significado. Vamos a eles:

 

 

Serpente: Representa um metal frio e venenoso.

 

Cruz: Representa a transformação do composto.

 

Asas: Simboliza a alma, a força total da transcendência.

 

Coroa: Significa a conclusão perfeita de uma operação alquímica.

 

 

Mas se formos interpretar a união dos símbolos em um só, podemos concluir que a cruz de Flamel representa uma transmutação alquímica perfeita onde o metal frio se transforma em ouro. Não faz certo sentido? 😉

Saindo agora da alquimia, vamos para a química que envolve os dois personagens centrais.

Edward, no decorrer da história recebe o título de alquimista de aço, titulo dado a ele devido ao material que constitui suas próteses mecânicas, no anime denominadas automails.

Só nisso podemos levantar algumas perguntas como por exemplo: o que é o aço? O aço é utilizado em próteses? Se sim, quais características do material contribuem para este ser uma boa escolha?

Então…o aço é uma liga metálica que tem como elemento base o ferro. Entende-se liga metálica como sendo a mistura homogênea de vários elementos, normalmente metálicos.

No caso do aço temos o ferro podendo ser misturado com carbono, cromo, zinco e outros variados elementos. Sendo que a porcentagem de cada elemento varia de aço pra aço.

Outros exemplos de ligas comuns ao nosso dia a dia são o latão (cobre + zinco), o bronze (estanho + cobre) e o ouro 18 quilates (ouro + prata + cobre).

Mas porque misturar todos esses elementos? Qual razão para isso? De graça?

NÃO.

Essa mistura homogênea tem o intuito de melhorar algum aspecto positivo, ou minimizar alguma característica negativa que o elemento base apresenta.

No caso do aço adiciona-se o carbono a fim de aumentar a dureza da liga metálica e sua resistência mecânica. Isso ocorre porque ao misturar carbono ao ferro forma-se dentro do aço uma substância muito dura chamada carbeto de ferro (Fe3C) que faz com que a estrutura se torne mais rígida e o aço mais duro.

Já a resistência à oxidação esta ligada a adição de cromo à liga porque faz com que o aço seja mais resistente à corrosão. A explicação para esse fato está na maior facilidade do cromo em se oxidar quando comparado com o ferro, o que faz com que o cromo oxide primeiro, formando o óxido de cromo III (Cr2O3), que se adere à superfície do aço.

Seguindo o exemplo do carbono e cromo citados, a adição de outros elementos como molibdênio, níquel, manganês, etc. tem sempre o intuito sempre de otimizar e melhorar determinada característica de interesse para um dado uso.

E sim, pra cada aplicação do aço nós temos um aço diferente, com proporções diferentes entre os elementos. Afinal de contas, o aço utilizado pra construção civil necessita de propriedades diferentes das propriedades do aço usado em utensílios de cozinha num é?

Mas será que automails…ops! Digo, próteses ortopédicas é uma das possíveis aplicações para o aço?

Bom, para ser utilizado como prótese mecânica é interessante que o aço apresente algumas características importantes, como: boa resistência mecânica, resistência à corrosão, boa biocompatibilidade (aceitação do organismo ao material da prótese), ductilidade (o quão maleável o material é), além de apresentar um preço acessível.

Dentro da inúmera lista de aços possíveis, aqueles que melhor apresentam tais características são o ASTM F-138 e o ISO5832-9. Por favor, aceitem esses nomes aí, OK? Existem várias normas e classificações dos tipos de aços, porém não é foco do artigo destrinchar cada uma delas. 😀

Observando a composição química dos dois aços, é possível notar muitas semelhanças, pois além do ferro e carbono que é de lei, ambos contem quantidades razoáveis de cromo, níquel e molibdênio, além de proporções de outros elementos como silício, cobre, nitrogênio, enxofre, fósforo e manganês. Em resumo, uma boa parte da tabela periódica, né? hehehe.

Agora tirando agora o foco do irmão mais velho e analisando o caçula Alphonse, fico intrigado com uma coisa, pensem comigo:

O cara passa o anime inteiro sendo uma armadura metálica. Passa por desertos, chuvas e sol, e a armadura não sofre oxidação e nem enferruja, briga pra caramba todo anime levando porrada na carcaça e nada nem de amassar.

Dentre as vezes que ele foi desmontado, foi só na base da alquimia. Então, que material poderia ser esse?

Uma possibilidade está no aço utilizado em equipamentos de mineração, navios e pontes. As ligas de ferro utilizadas para esses fins apresentam alta resistência mecânica e também à corrosão, os quais são denominados aços estruturais. Outra vantagem desse tipo de aço é a respeito do peso final do equipamento. Como tais aços são bem resistentes, a quantidade necessária para montar o equipamento é bem menor. Porém esse tipo de material não é comum de ser utilizado em armaduras antigas né? Então ainda me intriga essa pergunta sem resposta. De que material seria a armadura de Alphonse? Você tem algum palpite aí? Comenta aqui.

E assim terminamos a primeira parte da nossa saga pela ciência por trás de Fullmetal Alchemist.

Gostou do artigo? Compartilhe, comente e curta.

Tem ideias de temas para futuros artigos? Comente abaixo.

Caso tenha ficado alguma dúvida, não hesite em me procurar. Estou à disposição.

Abraços.

😉